Como percorrer o “W” do Parque Nacional Torres del Paine

Fundado em 1959 com apenas 4.33 hectares, o inicialmente denominado “Parque Nacional de Turismo Lago Grey” foi ampliado dois anos mais tarde (para 24.532htc), mudando o nome para “Parque Nacional Torres del Paine”. É património mundial da UNESCO desde 1978 e actualmente extende-se por quase 228 hectares. De entre os seus encantos conta com 20 lagos, 17 lagoas e 13 rios, 8 glaciares e diversas espécies de aves e mamíferos.  A sua montanha mais alta, o Paine Grande, eleva-se a mais de 3050 metros acima do nível das águas. É actualmente considerado a oitava maravilha do mundo, e as fotos não enganam (embora não lhe façam jus!).

O Circuito W contempla metade do circuito completo do parque (Circuito O). É um trilho de 70,5Km de extensão, com duração média de 5 dias, desde o refúgio Paine Grande até ao Refúgio Las Torres. Percorrê-lo é uma experiência de vida e um dos principais objectivos daqueles que procurar caminhar longamente através do Parque.

Para quem se hospeda em Puerto Natales, o hostel Erradic Rock oferece diariamente uma palestra gratuita às 15h.

Embora não o tenha conseguido fazer por inteiro por não ter reserva com antecedência – e o parque se encontrar lotado – estes são “os conselhos que vos deixo” para que possam usufruir deste paraíso gelado da melhor maneira!

O Circuito W, apresentado com os seus trilhos mais pequenos (imagem retirada do Google)

Como começar?

a) apanhar o autocarro em Puerto Natales até Pudeto, e aí apanhar o catamarã que atravessa o Lago Pehoé até ao Refúgio Paine Grande, ponto central para dois grandes trilhos – o do Glaciar Grey ou em direcção ao Miradouro Britânico.

– Horários do catamarãn: 9h; 11h; 16:15h e 18 horas.

– Duração do percurso: 35 minutos.

– Preço: 30USD um sentido, ou 50USD dois sentidos (a fazer no mesmo dia e comprados na mesma altura). Apenas em dinheiro.

b) Início na zone este, apanhar o autocarro em Puerto Natales para Laguna Amarga (15000 pesos – 24,5 euros), e daí fazer 1 hora de caminhada ou apanhar um shuttle para Las Torres (3000 pesos, 5 euros).

 

Que trilhos?

São vários os trilhos que compõe o W, todos devidamente identificados. O Parque é seguro e pode-se fazer vários kilometros de extensão sozinho, embora invariavelmente nos vamos cruzando com outras pessoas.

do Refúgio Grey ao Refúgio Paine Grande – 11Km de de caminhada fácil a moderada, em cerca de 6 horas e 15 minutos.

do Refúgio Paine Grande ao Vale Francês – 10 Km de de caminhada fácil a moderada, em cerca de 4 horas e meia.

do Refúgio Grey ao Acampamento Italiano – 18,5Km de caminhada fácil a moderada a fazer em cerca de 7 horas.

do Acampamento Italiano ao Vale Francês – 13 kms, dificuldade moderada, 5 horas
      – do Refúgio Los Cuernos ao Refúgio e Camping Chileno – 11km de baixa dificuldade, cerca de 4 horas e meia.

do Acampamento Italiano ao refúgio Las Torres – 16,5Km, de dificuldade fácil a moderada e com tempo previsto de 6 horas e 15 minutos.

do refúgio Las Torres ao miradouro Las Torres – 11,5Km, em dificuldade moderada, a percorrer em 3 horas em média.

(do refúgio e camping chileno até ao miradouro Las Torres) – para quem pernoita no Chileno (ou passando por ele apenas), são 4,2Km de dificuldade moderada, a fazer em cerca de 2 horas. O último Km é o mais difícil e íngreme.

 

imagens retiradas do folheto oficial do Parque

 

Onde reservar os refúgios e espaços de campismo?

Há diversos refúgios e parques de campismo ao longo de diversas porções do W, os quais devem ser reservados com a antecedência possível.

Recomendo vivamente a fazerem a pré-reserva dos locais onde pretendem pernoitar, sob risco de terem de regressar a Puerto Natales ou a terem de encontar um camping fora do recinto do Parque (como o camping Laguna Amarga, por exemplo). Isso significa invalidar todo o projecto de caminhar integralmente o W.

Há também dois hotéis no local: EcoCamp Partagonia e Hotel Las Torres, ambos próximos desta extremidade do W e ainda dentro do Parque Nacional.

Parques de campismo ao longo do parque

As reservas devem ser feitas pelo site www.verticepatagonia.cl  e o preço ronda os 90 euros/ pessoa/ noite.

E o clima?

O clima é completamente imprevisível no Parque Nacional, embora as previsões do weather.com dêem uma ajuda franca relativamente às temperaturas, vento e chuva.

Se as previsões forem “boas”, é mais aconselhado começar o circuito pelas Torres. Caso contrário, deverá iniciar-se o percurso na zona de Paine Grande.

De qualquer das formas, é sempre importante levar roupa e calçado adequado.

Horas de luz de acordo com os meses do ano (imagem extraída do guia oficial do Parque)

Onde alugar material de campismo em Puerto Natales?

Os dois locais que recomendo para aluguer de tenda, sacos-cama, bastões de caminhada, material para cozinhar e outros equipamentos é o Patagonia Adventures (um hostel, com serviço até cerca das 23h) e o Rental Natales (uma loja que está aberta até cerca das 21h). O preço é semelhante, a caução ligeiramente inferior no Patagonia Asventures (embora em antes seja algumas centenas de dólares…) e neste a qualidade do material também é melhor.

 

Onde ficar em Puerto Natales?

Não poderia deixar de recomendar o espaço onde fiquei, o Hostel Zaltaxar. Os dormitórios são de 4 pessoas (embora hajam 2 quartos em que o espaço maior acaba por albergar 8 camas), o pequeno-almoço está pronto a partir das 5h da manhã, o duche não sendo o mais “bonito” é super acolhedor e de água muito quente e o dono é cinco estrelas – ajuda com TUDO, não se podendo pedir mais. Ele é também dono do espaço Konkashken Lodge, mesmo na entrada do Parque.

2 Comments

  1. Nuno Carqueijeiro

    Bom dia Andreia. Tudo Bem?

    Em 2015/2016 fiz Voluntariado nesse parque Nacional Chileno. Foi atraves da CONAF – Empresa Publica que gere os Parques Nacionais do Chile.

    Era Responsavel por receber e registrar os visitantes numa das entradas do Parque. Estava na Entrada Serrano – Aquela que fica mais perto de Puerto Natales.

    O Trabalho era leve, das 9 ás 17/18 – 10 dias seguidos e 5 dias de folga. Nos dias de folga davam-nos um pocket money ou alimentação.

    A Comida e a Dormida era na sede do Edificio central no Parque. No mesmo sitio também existiam valências desportivas para os Funcionários e Voluntários, tais como: Campo de Futebol, Ginásio, Mesa de Ping Pong e uma area Recreativa.

    Numa das folgas fui até Ushuaia, nas outras aproveitei para fazer os circuitos do Parque. Já que, entando lá a fazer voluntariado, tinha acesso gratuito e estadia nos acampamentos da CONAF.

    A Passagem de ano 2015/2016 foi no Paso, junto ao Glaciar Grey. Onde iamos buscar gelo para as bebidas:)

    Para mais informação sobre a Conaf:
    http://www.conaf.cl/parques-nacionales/trabajos-voluntarios/

    Obrigado e diverte-te:)

  2. Olá! Obrigada pelo contacto =)

    Lembro-me perfeitamente de me falarem do CONAF =)
    Creio que era também por ai que entrávamos de manhã, uma vez que vinhamos de Puerto Natales regularmente.
    Passear pelas Torres del Paine é uma experiência que jamais irei esquecer e que guardo com muito carinho e saudade! Acredito que fazer voluntariado por lá de forma mais prolongada seja ainda mais revigorante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.