#D100 – San Pedro de Atacama [Laguna Cejar]

Os dias em San Pedro de Atacama são passados por entre as excursões que escolhi fazer, mais concretamente um pacote de 4 tours mais uma visita adicional.

Aproveito para visitar a Laguna Cejar e as suas pequenas lagoas contíguas na tarde do primeiro dia, uma vez que esta é uma excursão de curta duração e relativa pouca distância desde o centro da cidade.

A primeira paragem é para visitar um complexo de 3 lagoas: Cejar, Pedras e Baltinache. Estas três lagoas são de água salgada e, embora os banhos sejam permitidos nas duas últimas, somos desde logo avisados de que não devemos molhar a cabeça e – sobretudo – os olhos. O elevado teor de sal contido – cerca de 4x mais que a água do mar -, responsável pela flutuação dos corpos divertidos com as maravilhas destas lagoas, é também extremamente nocivo para as mucosas, podendo arder por vários dias.

Entro na água com um desejo de velocidade que não acompanha o real: o chão, totalmente constítuído por cristais de sal, magoa os pés e rasga as mãos à medida que vamos avançando. Ligeiramente mais fria do que esperava, acabo por deleitar-me com as águas que mesmo com custo não me deixam ir mais abaixo que alguns centímetros enquanto olho extasiada para a cordilheira de vulcões que se estende à distância.

A paragem seguinte é em Ojos del Salar, duas pequenas lagoas circulares. O sal já ressequido da aventura anterior, totalmente aderente ao corpo e áspero ao toque, é aqui lavado prontamente pelas suas águas doces que convidam e aceitam o salto de cerca de dois metros para o seu interior. Esta lagoa tem 17 metros de profundidade e forma-se através de correntes subterrâneas. E como é que se sabe a profundidade concretamente?.. porque há uns anos uma carrinha ficou destravada e caiu na lagoa, tendo sido finalmente retirada o ano passado 😉

Finalizamos o dia com um por-do-sol regado a Pisco e petiscos na Laguna Tebenquinche, uma lagoa também ela de elevada constituição salina elegantemente voltada para os Andes. Esta lagoa, formada pelo degelo e água das (raras) chuvas, era também chamada de Lagos dos Bruxos porque enquanto que no inverno a água atinge uma altura de 80cms, no verão esta evapora deixando apenas uma enorme crosta de sal.

As lagoas de S.Pedro de Atacama: Laguna Piedra e Laguna Baltinache
Detalhe da Lagoa salgada Baltinache
Ojos del Salar: duas lagoas de água doce em pleno Deserto do Atacama
Dois segmentos da salgada Laguna Piedra
Reflexos sobre a Laguna Tebenquinche
Alguns vulcões da Cordilheira dos Andes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.