#Dia 104 – San Pedro de Atacama [Salar de Tara]

Combinando belíssimas lagoas com terrenos rochosos invulgares, a excursão ao Salar de Tara é talvez das mais completas que se podem realizar a partir de S. Pedro de Atacama. O que tem de especial? Basta imaginar o conjugar das paisagens com o facto de pertencer a uma super caldeira com 180 por 60 Kms de extensão.

Inicialmente ladeados pelo vulcão Licancabur (com 5900m e uma lagoa no seu interior), a Estrada 27 conduz-nos pelo deserto fora e até uma altitude de 4200 metros de altura. De um mirador, vislumbramos uma paisagem singular: rochedos isolados emergem do deserto, qual autêntico quadro de Salvador Dali. Estes resultam de erupções magmáticas prévias, através de fragilidades da crosta terrestre. Segundo o nosso guia, aquando da sua formação seriam 40 vezes mais altos. Inicialmente brancos, são necessários mais de 400 anos para adquirirem a cor avermelhada.

Ao melhor estilo de Rali, chegamos às Catedrais de Tara, as formações rochosas em linha que se vêm em algumas das imagens abaixo. Para finalizar, e seguindo unicamente a direcção que as rodas de dezenas de jipes deixaram anteriormente na areia, rumamos até ao Salar de Tara. Abandonamos Dali, voltamos a Monet. Uma paisagem deslumbrante, inacreditável, em tons de pastel. A natureza a esmerar-se uma vez mais, numa imensidão perfeita e interminável que os melhores contadores de histórias não conseguiriam nunca imaginar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.