Nos caminhos da Estrada Real: Ouro Preto

Se ainda não conhecem Ouro Preto não sabem o que andam a perder. Cidade estrela da Rota do Ouro e ponto de paragem obrigatória da Estrada Real, Ouro Preto – berço da história nacional – foi fundada em 1711, marcando o início e expoente máximo da exploração mineira dos portugueses no Brasil.

A 1ª cidade brasileira a ser eleita Património Mundial pela UNESCO foi a capital de Minas Gerais entre 1720 e 1897. Com pico de desenvolvimento entre 1710 e 1773, foi a cidade da América do Sul mais populosa da época, alcançando os 240 mil habitantes. Seguiu-se uma época de abandono, por volta de 1810: a actividade mineira decaiu e em 1897 a capital do estado foi transferida para Belo Horizonte. Nestes 100 anos a população decaiu para somente 4 mil habitantes, sobretudo elementos das Ordens Religiosas. Cidade rica no mineral dourado, era paradoxalmente uma cidade pobre: morria-se de fome em Ouro Preto, todo o minério a ser transportado em direcção a Paraty e ao Rio para posterior envio para Portugal.

Qualquer descrição é insuficiente para este lugar, constutído por múltiplas colinas no topo das quais encontramos belas, enormes e riquissimas igrejas. Para lá chegar calcarreamos ruelas inclinadas, de casas caiadas com rebordos coloridos nas portas e janelas, e com varandas cuidadas com ferro forjado trabalhado. É voltar ao requinte português do Sec.XVI. Nos morros circundantes destaca-se o Pico de Itacolomi, uma formação rochosa ímpar que servia de ponto de referência para chegar a estas terras.

A cidade possui actualmente 73 mil habitantes, 20% dos quais são estudantes. Caminhar pelas ruas é também encontrar estudantes e Repúblicas com nomes tão sugestivos como “Pulgatório”, “Barraca Armada”, “Mixuruka”, “Sua Mãe” ou “Tanto Faz”. As igrejas são de puro estilo barroco, cerca de 21 e 8 das quais “teoricamente” encerradas para restauração; apesar disso, mesmo nas abertas é pedida uma contribuição que varia de 5 a 10 reais.

Ficam algumas fotografias desta cidade encantada. Podem ler sobre o meu roteiro aqui.

as ruas de Ouro Preto à noite
Treino de Capoeira

2 Comments

  1. Sou apaixonado por Ouro Preto (melhor dizendo, por todo o Estado de Minas Gerais), mas fiquei muito curioso sobre um lugar que falas num outro post e eu nunca tinha ouvido falar: Mina de Ouro do Veloso. Vou pesquisar mais a respeito, obrigado pelo alerta. Beijinhos!

  2. Olá Olá =) confesso que depois de Potosi, foi algo que já não mexeu muito comigo. Mas recomendo para qualquer pessoa que nunca tenha tido qualquer experiência de “minas”, até porque tem um nível de segurança maior e é sem dúvida um trajecto muito mais curto e turístico!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.