As 10 coisas a levar na mochila para a Islândia

          Bilhete comprado, expectativa crescente mas ainda falta a parte mais chata de todas: fazer a mala! Contudo, não tem de ser um pesadelo. Estas são as 10 coisas a levar na mochila para a Islândia.

          Para este artigo baseei-me na minha viagem de 11 dias de autocaravana pela ilha, durante o mês de Julho. Algumas destas dicas poderão não ser úteis para os meses de inverno: mais frios e sem tanta luminosidade.

          Por motivos óbvios (e uma vez que acho que ninguém se esquece), não vou incluir o material fotográfico, telemóveis, carregadores e etc nesta lista.

As 10 coisas a levar na mochila para a Islândia

1. Casaco impermeável

          O casaco impermeável é fundamental seja no verão seja no inverno. Em muitos casos é possível aproximarmo-nos relativamente perto da base das cascatas (como na Skogafoss ou na Dynjandi por exemplo), pelo que não esperem meros salpicos – é um verdadeiro “banho”. Noutras situações (como na Dettifoss) não nos podemos aproximar tanto mas o vento leva a água a grande distância e na direcção dos corredores de passagem.

          Na Seljalandsfoss é inclusive possível passar por trás da queda de água, numa concavidade escavada na rocha pela água ao longo dos anos.

casaco impereável - mochila Islândia

2. Roupas térmicas

          Uma primeira camada de roupa térmica é o teu melhor investimento. Não tem de ser uma roupa volumosa, pelo contrário – são roupas leves, de secagem rápida e numa malha especial muito justa ao corpo, mas com uma capacidade de retenção de calor acima do habitual.

          Mesmo viajando em Julho, usava sempre uma camisola e umas calças justas por debaixo da restante roupa, incluindo vestidos. À noite, dormia sempre – pelo menos – com um conjunto idêntico.

          Passando a publicidade (não paga…), as minhas roupas térmicas são da Primark. São baratas e existem em 3 cores: branco, cinza e preto.

roupas térmicas - mochila Islândia

3. Casacos com pêlo, meias de lã e botas de caminhada

          Para a minha viagem levei dois casacos revestidos a pêlo no interior: um primeiro de fecho ao centro que usava sempre por cima da camisola térmica, e outro que no fundo é o revestimento interno de um dos sobretudos.

          Estes casacos não foram apenas úteis durante o dia!! À noite, dormia frequentemente com um e o outro servia ou para encostar a cabeça (por cima da almofada e com um conforto espectacular) ou então estendia-o por cima do saco cama.

roupa quente com pelo - 10 coisas a saber Islândia

         A Islândia é um país para se percorrer maioritariamente de carro/ caravana, mas também com fabulosos trilhos para fazer a pé. A cereja no topo do bolo é que a grande maioria destas paisagens, caminhos e maravilhas naturais são completamente gratuitas e de acesso livre.

          Levar um ou dois pares de boas e quentinhas meias de lã pode fazer toda a diferença no conforto, seja de dia seja de noite. Para além disso, as botas de caminhada devem se possível ser impermeáveis, relembrando que estamos num país com mais de 10 mil cascatas e cursos de água  .

4. Venda para os olhos e gorro

          Esta é uma das dicas que só faz sentido nos meses de Verão, em que o sol “não se põe”. São por isso os chamados tempos do “Midnight Sun”, o que significa que temos luz directa ou luminosidade 24 horas/dia. E, se isso é uma grande vantagem para rentabilizar o dia, a verdade é que nos dá cabo do ritmo circadiano pelo que descansar em condições pode ser um verdadeiro problema.

          Nunca viajo com venda para os olhos, mas pela primeira vez desejei tê-lo feito!!

gorro - mochila Islândia

           O gorro dá aquele quentinho especial às orelhas e à cabeça, para além de combinar super bem com a maior parte das roupas. Para além disso, mesmo não estando frio corta parte do impacto causado pelo vento – algo que mesmo no verão se faz sentir e em força em algumas zonas da Islândia.

5. Fato-de-banho

          Então mas depois de tantas recomendações sobre roupas quentes, gorros e meias de lã, venho falar em fatos de banho?! Venho pois! Não se deixem enganar e, acima de tudo, não deixem o fato-banho-em casa! 
          A Islândia, um sonho de actividade vulcânica, é também por isso mesmo conhecida pelas suas maravilhosas hot-pools – piscinas naturais de águas que facilmente oscilam entre os 35 e os 42ºC. Entre públicas a privadas, entre gratuitas e pagas, existe de tudo e para todos os gostos – e esta é sem dúvida uma experiência que não podes perder na tua visita ao “País do Fogo e Gelo”.

Myvatn - 10 coisas a saber Islândia

6. Amostras de produtos de higiene

          Em todas as viagens levo sempre amostras da maior parte dos produtos de higiene: shampoo, amaciador, gel de banho, creme hidratante e protector solar. Na verdade, ao longo do ano vou guardando alguns destes produtos nas estadias dos hotéis onde fico alojada, usando-os somente quando vou ao estrangeiro. Para além das amostras, sou fã de produtos “mini” para este tipo de deslocações.

          Estas amostras podem ir em embalagens próprias ou então passo uma pequena quantidade para pequenas bisnagas de borracha ou frasquinhos de plástico. Não deito fora e reutilizo na viagem seguinte.

          Numa esfera mais íntima (e, obviamente, feminina!), sou totalmente fã do copo menstrual, não usando ou levando mais nada para a menstruação desde que o comecei a usar em 2017. Económicos, reutilizáveis, seguros, práticos e amigos do ambiente!

7. Comida e especiarias

          Quando viajamos de auto-caravana temos total liberdade de poder cozinhar as nossas refeições à hora que quisermos e onde quisermos… e isso é uma enorme vantagem.

          Sempre me tinham dito que a comida na Islândia era excepcionalmente cara e que a parcela da alimentação representaria uma grande parte das despesas, pelo que na véspera da viagem desloquei-me a um supermercado para me abastecer de tudo o que poderia ser necessário – e, sobretudo, tudo o que desse para cozinhar tendo apenas como apoio um camping-gás.  

comida
despesa total no supermercado, ainda em Portugal - 62 euros

          Desse modo, comprei o suficiente para 11 dias e para as 3 principais refeições (pequeno-almoço, almoço e jantar), assim como snacks (chocolate, frutos secos, barritas e bolachas). Para o almoço e jantar comprei vários pacotes de sopa em pó, noodles (basta adicionar água a ferver), massas já condimentadas e várias refeições “pré-montadas” que também só precisam de ser cozinhadas no momento (risotto de cogumenlos, quinoa com legumes, lentilhas…). Para o pequeno-almoço comprei preparados de aveia integral já com sabores (banana ou alfarroba por exemplo).

          Para além disto, levei ainda os tais frasquinhos que referi antes com sal, ervas aromáticas e uma bisnaga com azeite. Ao contrário do chá, café ficou esquecido…. Mas não devia!!

8. Garrafa de água reutilizável

          Com águas extremamente puras decorrentes do degelo dos glaciares, encher uma garrafa reutilizável não só é prático como seguro e gratuito. Assim, sempre que virem um curso de água corrente, nomeadamente perto de uma cascata, podem consumir sem preocupações. Poupam em garrafas de água e são amigos do ambiente por não desperdiçarem plástico.

          A expceção é, claro, para águas paradas. Não se esqueçam que a Islândia é um país totalmente vulcânico e em bastantes locais com focos activos, pelo que é comum encontrarmos fumarolas e fontes de água quente propicias ao desenvolvimento de microorganismos. Estas águas são extremamente ricas em enxofre e por isso impróprias para consumo.

garrafa de água reutilizavel

9. Adaptador USB para o isqueiro do carro

          A maioria dos carros vêm equipados com um isqueiro já adaptado para entrada USB, mas levar um extra é uma mais-valia e uma segurança. Para além disso, já se vendem adaptadores para o isqueiro com dupla entrada, o que significa que podemos ter 2 telemóveis a carregar em simultâneo, assim como outros equipamentos – na minha autocaravana havia 2 “tomadas-isqueiro” junto ao colchão, e era nestas que carregava o drone e respectivo comando enquanto conduzia por exemplo.

          As agências disponibilizam também o chamado “inversor”, um sistema que permite ligar uma tomada normal ao carro. Este inversor não é fácil de encontrar em Portugal, é volumoso para além de pesado pelo que sou da opinião de que não compensa adquirir propositadamente. O preço por aluguer ronda os 15 euros.

10. Cartão do Cidadão (dispensa passaporte)

          Por se tratar de um país membro do Espaço Schengen, não precisamos de levar passaporte connosco, bastando claro um cartão identificativo (idealmente o cartão de cidadão) e o boarding-pass

          Também não é necessário visto de entrada.

10 coisas a levar na mochila1
guarda este artigo no Pinterest!

Partilha nas tuas redes
Share on facebook
Share on pinterest
Share on email
Andreia Castro

Andreia Castro

Viajante antes de ser Médica, vivo com as memórias no bolso, o passaporte na mão e sempre com a próxima viagem marcada.

Lê mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Subscreve a Newsletter

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!