Combinando belíssimas lagoas com terrenos rochosos invulgares, a excursão ao Salar de Tara é talvez das mais completas que se podem realizar a partir de S. Pedro de Atacama. O que tem de especial? Basta imaginar o conjugar das paisagens com o facto de pertencer a uma super caldeira com 180 por 60 Kms de extensão.

Inicialmente ladeados pelo vulcão Licancabur (com 5900m e uma lagoa no seu interior), a Estrada 27 conduz-nos pelo deserto fora e até uma altitude de 4200 metros de altura. De um mirador, vislumbramos uma paisagem singular: rochedos isolados emergem do deserto, qual autêntico quadro de Salvador Dali. Estes resultam de erupções magmáticas prévias, através de fragilidades da crosta terrestre. Segundo o nosso guia, aquando da sua formação seriam 40 vezes mais altos. Inicialmente brancos, são necessários mais de 400 anos para adquirirem a cor avermelhada.

Ao melhor estilo de Rali, chegamos às Catedrais de Tara, as formações rochosas em linha que se vêm em algumas das imagens abaixo. Para finalizar, e seguindo unicamente a direcção que as rodas de dezenas de jipes deixaram anteriormente na areia, rumamos até ao Salar de Tara. Abandonamos Dali, voltamos a Monet. Uma paisagem deslumbrante, inacreditável, em tons de pastel. A natureza a esmerar-se uma vez mais, numa imensidão perfeita e interminável que os melhores contadores de histórias não conseguiriam nunca imaginar.

Partilha nas tuas redes
Share on facebook
Share on pinterest
Share on email
Andreia Castro

Andreia Castro

Viajante antes de ser Médica, vivo com as memórias no bolso, o passaporte na mão e sempre com a próxima viagem marcada.

Lê mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Subscreve a Newsletter

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!