Jardim Verde - Roteiro Coimbra

          Quem passa por Coimbra mas fá-lo de passagem… afinal não conhece Portugal. Atrevo-me até a dizer que não só passa ao lado de uma das cidades mais emblemáticas do país como ainda perde parte daquilo que é a nossa cultura e essência enquanto portugueses. Costuma-se dizer que “à terceira é de vez” e comigo não foi excepção – foi desta que fiquei a conhecer a cidade. Por isso, desafio-vos a fazer o mesmo: com este Roteiro de 1 dia em Coimbra vais percorrer as ruas, cruzar as praças, encantar-te com as ruelas e descobrir o melhor que Coimbra tem para oferecer.

            Em Coimbra respiram-se as noites académicas, as capas negras, as batinas brancas, as serenatas, os fados, a saudade e o amor. Porque haverá maior história da nossa História, no que ao amor diz respeito, do que a de Pedro e Inês?

Roteiro de 1 dia em Coimbra

          Coimbra desenvolve-se na encosta que olha o rio Mondego, sendo o seu elemento principal e imperdível o complexo da Universidade de Coimbra – Património Mundial da UNESCO. Mas esta cidade que já foi capital de Portugal tem muito mais para ver.

            O nosso Roteiro de 1 dia em Coimbra – preparem-se, é para andar bem! – começa bem alto, no Miradouro do Penedo da Saudade. Que melhor local para se começar uma visita do que com uma vista ampla sobre a cidade e a Serra da Lousã, que transpira história universitária?? Aparentando (erradamente!) um cemitério para os olhos mais distraídos, este jardim alojado na colina ostenta dezenas de placas em pedra que relembram lápides mas que, no fundo, são a homenagem solene de vários cursos académicos, de vários anos, que por Coimbra passaram. Segundo a lenda, o nome deve-se a D.Pedro, que aqui vinha a tragédia que se abateu sobre o seu amor com D.Inês de Castro.

Miradouro do Penedo da Saudade - Roteiro Coimbra
Inscrições nas lajes do Miradouro

          Continuamos para o Seminário Maior da Sagrada Família (1748), que se encontrava em obras de restauração aquando da minha visita. É dotado de um jardim com uma nave central e, numa das laterais do edifício, podem encontrar um baloiço de madeira com vista para a cidade.

Seminário da Sagrada Familia - Roteiro Coimbra
Detalhes do Seminário da Sagrada Família

          Mesmo ao lado está o Jardim Botânico, que merece uma visita mais tranquila do que o tempo que dispunha à data da minha visita. Criado em 1772 pelo Marquês de Pombal, contam-se entre outros pontos de interesse a Estufa Grande, a Mata, o Fontanário e uma capela. De entrada gratuita, é também ele considerado Património Mundial da Humanidade da UNESCO. A entrada principal do Jardim Botânico é marcada por um dos 21 arcos que compõem o Aqueduto de S. Sebastião (ou, mais simplesmente, Arcos do Jardim), datado do Sec.XVI e criado para levar água até à colina onde se localizava o Convento de Santa Clara. Do lado contrário da rua, no número 33, encontramos a primeira República do dia – a República Real Ay-ó-Linda (1949).

Arcos do Jardim_ Aqueduto de S.Sebastião - Roteiro Coimbra
Arcos da estrutura do Aqueduto de S.Sebastião

          Como referido anteriormente, nenhuma visita fica completa sem conhecer o complexo da Universidade de Coimbra, ponto nevrálgico da vida estudantil nacional. A Rua Larga homenageia o seu fundador, D. Dinis, que recebe do alto quem sobe as Escadas Monumentais. São 125 os degraus construídos durante o Estado Novo, e rapidamente me relembram que também eu tinha de “penar” pela subida da Rua das Pretas, em Lisboa, para chegar às Ciências Médicas – afinal, vida de estudante é difícil e alcançar a própria faculdade uma prova de tenacidade. Estas escadas são ainda hoje em dia usadas nas praxes académicas.

Universidade Coimbra - Roteiro Coimbra

          Atravessamos a Praça e encaminhamo-nos para a Rua Larga (ou Alameda das Faculdades), passando pelos robustos edifícios da Faculdade de Matemática, de Letras ou de Medicina. A grande Porta Férrea (1634) marca a entrada do núcleo histórico da Faculdade de Direito, ladeada por duas colunas coríntias e adornada no chão com um grande painel de pedras da calçada que representa a Sapiência. Como podemos ler logo na entrada, a Universidade foi fundada em 1290 tornando-se assim a mais antiga de Portugal e uma das mais antigas da Europa. Património Mundial pela UNESCO desde 2013, integra 31 edifícios ligados às escolas de Medicina, Letras e Direito, entre outros.

          Fruto de tempos e consequências do Covid19, encontramos o Paço das Escolas vazio quer de turistas quer de capas negras. Na verdade, se por um lado é uma visão desoladora, por outro emana tranquilidade. Dificilmente se encontra este espaço assim, visto ser o ponto de ligação de vários elementos de renome: o Paço Real, a Capela de São Miguel, a Biblioteca Joanina, a Sala dos Capelos, a Torre da Universidade, Museu da Ciência, a Galeria de Física e a Galeria de História Natural. Aqui defendem-se teses e elegem-se reitores. Todas estas estruturas são acessíveis por 12 euros e visitáveis das 9h às 17h.

Complexo Univ.Coimbra - Roteiro Coimbra

          A Torre da Universidade destaca-se pela imponência, marcando o relógio as horas para que ninguém em lugar algum se atrase para as aulas. A Capela de S.Miguel (lançada no séc.XI e de actual traço manuelino), azulejos do sec.XVII e um órgão de 2mil tubos, convida ainda a apanhar um pouco de sol nas suas escadas. A Biblioteca Joanina (1717, em honra de D. João V) é o seu ex-líbris: de estilo barroco com madeira trabalhada e estantes forradas a folha de ouro, é considerada uma das mais ricas bibliotecas europeias ostentando cerca de 60 mil livros dos séc.XVI a XVIII..

          O nosso roteiro por Coimbra prossegue pelo Largo de São Salvador, onde encontramos outras duas Repúblicas. Numa casa “ricamente decorada” por objectos e memórias dos estudantes, situa-se no primeiro andar a República das Marias do Loureiro, feminista, anti-hierárquica e anti-praxe. No andar de cima, a República Baco só aceita homens. Este é um bom largo para sentar, tomar um café e petiscar qualquer coisa enquanto se sente o pulsar estudantil.

Repúblicas - Roteiro Coimbra
Repúblicas emblemáticas da cidade de Coimbra

          Se olharem com atenção, o Museu Machado de Castro tem um avançado em vidro que olha a ruela, e é para ai que nos dirigimos de seguida.  Este museu tem exposições permanentes e temporárias na área das Belas Artes (arqueologia, escultura, pintura e artes decorativas), e os seus arcos fazem o enquadramento perfeito para mais uma fotografia. Aqui, há outra esplanada bastante convidativa com vista para o Mondego.

Museu Machado de Castro - Roteiro Coimbra

          Bem pertinho, e ainda antes de descermos para a Baixa, passamos na Igreja da Sé Nova de Coimbra. A imponente fachada é de estilo maneirista, e o interior no tradicional traço barroco destacado no belíssimo altar e tectos em abóbada que merecem sem dúvida a visita. É também aqui que anualmente acontece a Benção das Pastas.        

Sé Nova de Coimbra - Roteiro Coimbra
a incrível Sé Nova de Coimbra

          Começarmos então a caminhar em direcção à Baixa, começando pelo Largo da Portagem. Esta é a principal praça da cidade, com várias esplanadas e restaurantes, e é aqui que podemos encontrar o mítico Hotel Astória (1926).
          Seguindo pela Rua Ferreira Borges, apercebemo-nos do vibrante comércio de rua à medida que vamos passando pelos diversos estabelecimentos. Entre os vários edifícios destaca-se a Art Nouveau do Museu da Cidade de Coimbra, com entrançado em ferro avermelhado, e o Café Santa Cruz (um dos mais antigos da cidade e com uma estrutura que vale a pena espreitar), já em plena Praça 8 de Maio. Ao lado, na Igreja de Santa Cruz (1131), localiza-se o túmulo de D. Afonso Henriques e de D.Sancho I. Paremos um pouco para experimentar alguns dos doces típicos de Coimbra, como as Arrufadas, os Pastéis de Santa Clara ou o Pudim das Clarissas – todos eleitos finalistas distritais da competição “7 Maravilhas Doces de Portugal”.

Praça 8 de Maio - Roteiro Coimbra

         Ainda percorrendo a Rua Ferreira Borges, é numa perpendicular que se situa o Arco e Torre de Almedina, a antiga porta da cidade muralhada (“Medina“) nos tempos medievais. A Torre de Almedina, que em tempos serviu de torre de vigia, foi também por várias vezes sede dos trabalhos do município. Adjacente a ela, uma segunda cintura da muralha (Barbacã) teve de ser construída para reforçar a defesa. Não deixar de reparar na linda escultura em que as formas da guitarra mimetizam as formas femininas, num abraço ao fado de Coimbra.

Almedina - Roteiro Coimbra
Centro Histórico de Coimbra

          Seguindo pelo fluxo natural (os nossos pés levam-nos automaticamente no sentido da subida), deparamo-nos com as Escadas Quebra-Costas – que, tal com o nome indicam, são mais apropriadas para subir do que para descer, tal é a frequência de quedas que aqui acontecem. Neste Largo onde tudo acontece, o Fado não é novamente excepção e é homenageado com museu próprio – o Museu do Fado, sempre com concertos às 18h. Conta a história que terá sido um género importado e adaptado dos estudantes brasileiros (sec.XIX), outra que é original de Lisboa e uma terceira linha liga-o às Cantigas de Amor e Trova Provençal dos tempos da Idade Média.

          Os corajosos que cumprimentam a Tricana (a estátua de homenagem à mulher de Coimbra) e se aventurarem a subir as Escadas Quebra-Costas (que não são muitas nem difíceis) são agraciados com a vista da Sé Velha, ponto de paragem imperdível – afinal, é aqui que todos os anos se ouve a mítica Serenata Académica de Coimbra.

Tricana - Roteiro Coimbra
a estátua da Tricana é uma homenagem à mulher conimbricense

          A Sé de Velha de Coimbra data do séc.XII. É muito semelhante à Sé de Lisboa, uma vez que ambas foram edificadas em simultâneo e durante o reinado de D.Afonso Henriques. Foi também por sua ordem que Coimbra foi a eleita como capital do reino. De estilo românico e um incrível altar gótico, a sua entrada vale bem os 2,50 euros.

Sé Velha - Roteiro Coimbra

          A tarde segue avançada quando cruzamos a Ponte de Santa Clara em direccção à Quinta das Lágrimas. Pelo caminho vejo os muros do Portugal dos Pequenitos, onde não vou desde… pequenita.  Um elemento da história da nossa infância é, tal como o nome indica, uma representação em miniatura do nosso país, um “retrato vivo da portugalidade e da presença portuguesa no mundo”. É dividido em várias áreas como “Portugal Monumental”, “Portugal Insular”, “Casas Regionais” e “Países de Expressão Portuguesa”, e tem ainda um Museu do Traje.

          Chegamos à Quinta das Lágrimas, que alberga um Hotel de luxo no antigo palácio do sec.XIX, um Campo e Clube de Golf no seu interior. O palco da história de amor de Pedro e Inês é também o palco desta tragédia shakespeariana que de comédia não tem nada. Diz-se que Inês de Castro foi morta em plena Fonte dos Amores, e que as pedras de tom avermelhado são resquícios do seu sangue derramado.

Quinta das Lágrimas - Roteiro Coimbra

          Este roteiro de 1 dia em Coimbra termina nas relvas do Parque Verde, olhando o Mondego que corre dolentemente e as paredes caiadas da cidade que reflecte os últimos raios de sol. Este parque ao ar livre é o espaço perfeito para uma caminhada ao final da tarde, para um pic-nic ou para a prática de exercício físico (corrida, canoagem, paddle). A ponte Pedro e Inês cruza o rio, debaixo da qual os patos vem pedir algo que comer.

Parque Verde - Roteiro Coimbra

Como chegar a Coimbra?

          Coimbra é facilmente acessível de transportes públicos, nomeadamente Comboio e Autocarro. Existem 2 estações na cidade – Coimbra A e Coimbra B. A primeira refere-se somente aos comboios urbanos e regionais, enquanto que a segunda recebe os Intercidades e o Alfa Pendular. Da estação de comboios, o mais prático é apanhar um táxi/ uber para o centro da cidade. A estação rodoviária recebe diariamente os autocarros de Rede Expressos provenientes de diferentes pontos do país ou outras cidades europeias, com chegadas em diferentes horários.

            Coimbra dista a 200Kms de Lisboa (2 horas de viagem) e a 124Kms (1h10min) do Porto, encontrando-se ligada a ambas pela A1 – as saídas adequadas são Coimbra Sul e Coimbra Norte, respectivamente.

Este roteiro foi elaborado ao abrigo da iniciativa da ABVP #EuFicoemPortugal, com apoio do Turismo Centro de Portugal

Partilha nas tuas redes
Share on facebook
Share on pinterest
Share on email
Andreia Castro

Andreia Castro

Viajante antes de ser Médica, vivo com as memórias no bolso, o passaporte na mão e sempre com a próxima viagem marcada.

Lê mais

3 Comments

  1. Joaquim Moreira

    Olá Andreia!
    É possível que não tenha reparado mas creio não teres mencionado o Mosteiro de Santa Cruz.
    A “alta” tem também umas coisitas que podem ser interessantes visitar mas em Santa Clara existem também o Mosteiro (Convento) de Santa Clara a Velha e Santa Clara a Nova.

  2. Andreia Castro

    não mencionei não, infelizmente não tive a oportunidade de visitar então não quis opinar sem experiência real =))
    Na verdade, pode ser que ainda volte a Coimbra e nesse caso irei certamente explorar esse lado da cidade!

    Obrigada pelo comentário =))

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Subscreve a Newsletter

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!

Subscreve a newsletter

E fica a saber de antemão tudo sobre as próximas viagens, artigos do blog e muito mais!